Ads Top

#Resenha: Fake

"Nós nos encontramos praticamente a semana inteira e sentia um frio na barriga por estar perto dele, o coração disparando com cada mensagem nova, ansioso para chegar o final de semana. Pessoas invejosas diriam que estávamos vivendo uma overdose. Mas era só felicidade e empolgação."

Primeiramente, antes de falar sobre Fake, precisamos conhecer seu pai. Felipe Barenco é do Rio de Janeiro e formado em Direção Teatral pela UFRJ, na tevê já escreveu para diversos programas, Felipe também escreve para teatro e cinema. No twitter alcançou notoriedade com o perfil @donashakespeare.

"Fake", seu livro de estréia conta a história do jovem Téo que mora no Engenho Novo, RJ e acaba de entrar na faculdade de Direito. Com 19 anos de idade, e ainda virgem (não de signo), o garoto vive diariamente com uma série de conflitos internos, envolvendo principalmente sua sexualidade e o medo de assumir-se gay para a família. Na contramão de tudo isso, surge o bonito e simpático Davi, dono de um segredo, e que acaba se interessando pelo nosso protagonista, logo os dois começam a namorar e a vida de Téo muda completamente.

O livro é um YA (Young Adult – literatura para quem tem entre 16 e 24 anos), mas interessa a todas as idades, pois não fica somente focado no relacionamento entre os jovens. Ao longo do livro, o autor discorre sobre os mais diversos temas, sempre abordados de maneira leve e em uma linguagem atual e cheias de referências a cultura pop do Brasil, tornando a leitura muito prazerosa e fluida, nos aproximando dos personagens e em muitos momentos, querendo que o livro não acabe nunca.


Ao longo das mais de 260 páginas, você vai rir, se emocionar e refletir com os relatos de Téo sobre sua vida, a de sua família e de seus amigos, que vivem em uma linha tênue entre o clichê e o extravagante, já que tratam-se de pessoas reais, iguais as que conhecemos, com suas singularidades muito bem constrúidas pelo autor. Todos os personagens são muito carismáticos e cheios de nuances quase imperceptíveis, mas que fazem muita diferença para a história, quando vistas de outros ângulos.

"Antes de nascer, Deus me perguntou: 'Téo, você quer ser platônico ou daltônico?'. Eu respondi rápido, me achando muito esperto: 'Daltônico não, não quero ver o mundo em preto e branco'. Então, Ele se vingou de mim: 'Vai, Téo, siga platônico. E esteja fadado a enxergar cor onde simplismente não existe".

É preciso parabenizar o autor pela coragem de publicar um livro que traz como principal foco, o relacionamento amoroso de dois garotos, já que em nossa sociedade atual, o tema "homossexualidade" não costuma ser muito bem aceito. Talvez, por essa razão que o autor tenha tido uma grande dificuldade em publicar seu livro por alguma editora, precisando lançar um selo próprio para conseguir lançá-lo, porém, temas como esse, precisam ser mais abordados na literatura, pois só assim o preconceito diminuirá.

Enfim, "Fake" é essencial para leitores interessados em um romance gay cheio de "reviravoltas" e uma história muito envolvente. Para comprar, visite livrofake.com e aproveite o frete grátis pra todo Brasil.


Álisson Boeira

Fundador da Revistak7. Gaúcho que não gosta de churrasco e nem chimarrão. Apaixonado por todos os tipos de arte, principalmente as que causam arrepios na alma.

|@alissonfboeira

Tecnologia do Blogger.