Ads Top

#Resenha: A Saga de um Andarilho pelas Estrelas

"Ao presenciar tudo aquilo, pensei em me exilar naquele planeta para sempre. Não houve objeções ao meu desejo, pelo contrário, seria me concedido todas as garantias de permanência, como residência fixa, alimentação etc. No entanto, decidi partir, porque ainda queria conhecer o Universo."

O livro escrito pelo autor nacional Jean Pires de Azevedo Gonçalves e publicado pela editora Multifoco, narra as aventuras de um homem que deixa a terra e viaja pelas estrelas, conhecendo novas culturas, planetas e seus habitantes cheios de peculiaridades, em uma saga repleta de momentos "cômicos e desconcertantes que acabam por inspirar reflexões sobre a vida e a existência".

Tudo começa com uma coletiva de impressa em um "amplo salão azul, de uma única porta cor de abóbora e nenhuma janela", um homem cai na terra e começa a narrar suas aventuras e descobertas para uma pletéia cheia de jornalistas interessados em uma revelação, que o homem que prefere ser chamado de "Andarilho das Estrelas", pretende contar.

A utopia pós-moderna possui 10 capítulos (ou partes, como é descrito no livro") divididos em apenas 180 páginas. Mesmo se tratando de um livro curto, a trama é bem descrita e cheias de detalhes, capaz de nos fazer viajar junto com o personagem pelo universo em uma leitura bem leve.

"O sol a pino derramava uma claridade ofuscante que incendiava o solo, que, causticamente, retribuía irradiando ondas de calor a uma temperatura de 50 graus ou mais."

"A Saga de um Andarilho pelas Estrelas" traz uma métrica bem diferentes das encontradas na maioria dos livros, onde em alguns momentos os parágrafos podem durar várias páginas e podem cansar o leitor que não estiver totalmente envolvido com a narrativa. Porém essa diferença, torna o livro mais único e consequentemente, mais interessante.

O autor conta que o livro nasceu de uma brincadeira sem nenhum tipo de pretensão. Jean e alguns amigos integravam um grupo de estudos de economia. Como as previsões não eram tão boas assim, o autor preferia escrever sobre outros temas bem humorados, como invasões extraterrestres. Aos poucos, o texto foi surgindo e o paulistano sentiu a necessidade de publicá-lo. Uma curiosidade, é que o livro poderia ter sido chamado apenas de "Andarilho das Estrelas", porém precisou mudar de nome após a descoberta de uma outra obra homônima escrita por um escritor norte-americano.

Você pode comprar o livro diretamente com a editora Multifoco ou na Livraria Cultura.

Álisson Boeira

Fundador da Revistak7. Gaúcho, que vive no Mundo da Lua, e que não gosta de churrasco e nem chimarrão.

|@alissonfboeira

Tecnologia do Blogger.