Ads Top

A Nova York de Will Eisner


Nova York é uma cidade icônica, seja nas canções de George Gershwin e Frank Sinatra, ou transformada em personagem nos filmes de Woody Allen. Cartão de visitas da "terra das oportunidades", foi lentamente se transformando num caldeirão étnico e multipolarizado, onde diferentes culturas  dialogam entre sim e contribuem para enriquecer a essência dessa polis onde o novo e o velho coexistem e se afirmam. 

O quadrinista Will Eisner retrata com eficiência os microcosmos que configuram o mosaico desta grande metrópole, dividindo em capítulos esse imenso poema visual . Nessas categorias o autor explora a relação dos habitantes com o clima, o tempo e o espaço urbano, transpirando uma simbiose que pulsa de forma orgânica projetando um estilo único de narrativa fluida, relatando pequenas histórias tão peculiares e ao mesmo tempo identificáveis a qualquer morador de uma grande cidade. O particular projetado de maneira universal.

Foto: http://www.just-carol.com/2014/05/resenha-livro-nova-york-vida-na-grande-cidade.html

O olhar humanista de Eisner homenageia a cidade em questão enquanto ilustra estas tragicômicas batalhas diárias, traçando dessa forma um painel de comportamentos familiares e idiossincráticos. De maneira igualmente genial ele destila uma ácida crítica a todo o processo de atomização que qualquer grande metrópole inadvertidamente exerce sobre aqueles que moram nela. 

O autor usa de humor e poesia para retratar esses pequenos grandes momentos do cotidiano, que podem transformar um dia, fazendo brotar um sorriso ou uma lágrima no rosto.A estranha sinfonia de concreto que define enquanto oprime.A natureza humana desenhando sua tortuosa trajetória em meio ao concreto imponente dos prédios que protegem e isolam. 

Uma obra bastante atual sobre o desafio rotineiro de sublimar a selva de pedra, encontrando delicadeza e suavidade nos instantes mais díspares, a nostalgia e a saudade despertando nossas identidades mais viscerais e proporcionando uma perspectiva muito especial desse singular caleidoscópio comportamental que sempre faz um contorno diferente sobre o asfalto.


Gilson Pessoa

Escritor e poeta formado em jornalismo pela UFJF. Mineiro nerd, nostálgico e sonhador, apaixonado por literatura e cinema.

|@Gilson106

Tecnologia do Blogger.