Ads Top

Reconto | Paixões


Cadê sua coluna quinzenal? Ih, é que eu estava viajando. Nossa, mas e a responsabilidade de deixa-la pronta? Mas eu não estava inspirada, sou novata nisso ainda, não consigo fabricar colunas nem em pequena escala. Ok, considerando que estar de férias é um motivo justificável, então está perdoada. (Ufa).

Quais suas paixões? O que te faz sentir o frio passando na espinha, o estômago embrulhado e o coração acelerado? Viagem e shows me deixam assim, sem rumo. Quando consigo juntar os dois então, os rumos se embaralham e eis que surgem alguns novos. E essa é a minha justificativa pela ausência da última coluna.

Continuando no viés da dopamina, além das paixões por lugares, sabores, cheiros e imagens, como anda nossa paixão em nossos relacionamentos? Será que a paixão deve somente existir entre casais? Particularmente penso que não, ainda mais depois de ver alguns novos episódios de Grace and Frankie, estrelados por nada mais nada menos que Jane Fonda e Lily Tomlin.

Seus respectivos maridos se apaixonaram e casaram-se, deixando de herança às duas a mesma casa na praia e uma relação a ser construída. As duas, que antes, eram somente colegas são obrigadas a dividirem o mesmo teto e tornam-se amigas. É delicioso observar como as pequenas nuances evoluem a partir da rotina, das necessidades, das obrigações e diversões. Essa mesma observação fiz com meu companheiro de viagem, meu irmão do meio. Irmão e melhor amigo. Sou grata por tê-lo em minha vida e realizada por ter construído essa relação, pois apesar de nos conhecermos desde sempre, ela nem sempre existiu.

Dentre as inúmeras relações que podemos construir, as que liberam dopamina são as mais gostosas, são aquelas que nos fazem perder o sono, a fome, que nos deixam aéreos, que produzem a sensação de recompensa. É aquela paixão arrebatadora que nos fazem ter a sensação do vício, ou a falta dele. Há inúmeras pesquisas sobre paixão rolando por aí, muita coisa já se sabe, principalmente o que acontece no cérebro, mas não se sabe ainda ao certo como essa escolha é feita.

Permita-se sempre se apaixonar, seja por um lugar novo e incrível, seja por um sabor mais amargo que o de costume. Apaixone-se novamente pela banda que você ama, apaixone-se pelos seus amigos e irmãos, deixe a paixão te invadir quando alguém te levar para ver o pôr-do-sol e dizer que a vida é bela! Porquê da vida o que levamos são as paixões. Apaixone-se.

Aline Marcondes

Paulistana de moradia carioca. Investe seu salário de engenheira em viagens e shows. Viciada em conversar e observar o comportamento humano.

|@alinemarc

Tecnologia do Blogger.