Ads Top

Modo Aleatório | Guardiões dos bons costumes


Recentemente, num jantar romântico de dia dos namorados, minha linda esposa pediu para acompanhar nosso prato uma Piña Colada, bebida à base de abacaxi comum para qualquer barman, ok! Tanto faz, porque estamos falando disso?

A vida imita a arte e a arte imita a vida. Namoro a minha esposa há doze anos, um bom tempo de relacionamento, e descobri recentemente que ela gosta dessa bebida. WTF!!!! Quer dizer que você não conversa com sua mulher, você deve estar pensando! Não, nada disso, apenas lapsos de uma rotina comum entre casais.

Se você já ouviu Escape (The Piña Colada Song), de Rupert Holmes, você vai entender o que eu estou falando. É uma história típica de filmes da sessão da tarde de um casal que está preso na rotina, e através de uma coluna social de um jornal local começam a se comunicar sem saber quem está na outra ponta, marcam um encontro e caem na gargalhada, sorriem e curte essa reaproximação, além de descobrirem coisas que gostam e não compartilham mais entre si.

Caso tenha assistido Os Guardiões da Galáxia, com certeza ouviu esse som de 1979, ele é simples e divertido assim como todo o enredo do filme. E graças a trilha sonora desse filme eu redescobri gostos antigos por velhos clássicos que se encaixam em várias situações interessantes do cotidiano.

Os bons costumes musicais voltaram a reinar no nosso lar.

É bem divertido compartilhar músicas tão antigas com uma criança de sete anos que canta pra você sem ao menos saber o que significa:

"I’m hooked on a feeling
I’m  high on believing
That you’re in love with me".

Mas o que ele gosta mesmo é da introdução, “ ooga-chaka Oooga-Ooga” (Blue Swede – Hooked on a Feeling). É contagiante entender que num passado tão distante as composições eram histórias cotidianas compartilhadas, é um pouco do que tento fazer aqui nessa coluna. Compartilhar aquilo que é interessante no cotidiano massificado por fugacidade.

Os Guardiões conseguiram de certa forma, através da Piña Colada, me divertir, me alertar e principalmente voltar a compartilhar melhor o momento que tenho com quem amo.

Sem ser piegas, queria singelamente oferecer uma Piña Colada a todos os casais leitores e principalmente a minha fã número um, minha namorada, amante e esposa! Te amo e espero que não precise te encontrar aleatoriamente num bar para poder compartilhar isso!

Aceita uma Piña Colada?



Filipe Nascimento

Uma mente moderna, porém mal acabada. Paulista, urbano, viajante, sempre embalado por uma trilha sonora que transita entre o rock e o hip hop, entre as referências e as novidades.

|@Filipedonasc

Tecnologia do Blogger.