Ads Top

8 filmes indicados ao Oscar 2017 que você encontra na Netflix


A Netflix está sempre renovando seu catálogo de filmes, todos os meses alguns títulos são retirados para que outros sejam adicionados. No início desse ano, pouco tempo depois do Oscar, não foi diferente. Vários filmes que foram indicados a premiação, e alguns que até levaram a estatueta dourada para casa, entraram para a plataforma de streaming mais querida de todas.

Por isso, resolvemos te mostrar 8 dessas produções que você pode assistir no conforto do seu sofá.

Pegue a pipoca e aproveite:


Até o Último homem (Mel Gibson, 2017) 



Baseado em fatos reais, a obra conta a história de Desmond T. Doss, um paramédico do exército americano que se recusa a pegar em armas. Participou da Batalha de Okinawa, na Segunda Guerra Mundial, e conseguiu salvar mais de 75 vidas, inclusive de soldados do exército inimigo.
O filme foi indicado nas categorias: melhor filme, melhor direção, mixagem de som, edição de som e edição.


A 13ª Emenda (Ava DuVernay, 2016)  



O documentário fala dos malefícios da décima terceira emenda da Constituição dos Estados Unidos, que, segundo é apresentado no filme, é apenas mais uma maneira de continuar com o trabalho braçal dos negros, mesmo depois da abolição da escravidão.
A produção foi aplaudida de pé durante o New York Film Festival de 2016, onde se tornou o primeiro documentário a abrir o prestigioso evento.
O filme foi indicado na categoria de melhor documentário de longa-metragem.


Extremis (Dan Krauss, 2016)  



Produzido pela própria Netflix, o documentário dirigido por Dan Krauss relata os últimos dias de vida de pessoas internadas em UTIs. Ele consegue mostrar nossa frágil relação com a morte, além de exibir a difícil tarefa de médicos e familiares em escolher o destino de uma vida.
O filme foi indicado na categoria de melhor documentário de longa-metragem.


Life, Animated (Roger Ross Williams, 2016) 



Owen Suskind é um jovem autista que sempre encontrou dificuldades para se comunicar com as pessoas. Quando criança, após anos sem conseguir falar, encontrou uma maneira de se expressar: reproduzindo diálogos e cantando músicas de animações da Disney.
Baseado em um livro de Ron Suskind, o documentário escrito e dirigido por Roger Ross Williams é uma bela lição de vida.
O filme foi indicado na categoria melhor documentário de longa-metragem. 


Jackie (Pablo Larraín, 2017)  



Com figurinos excepcionais e uma bela fotografia, o filme mostra os desafios que Jacqueline Kennedy, esposa do 35º presidente dos Estados Unidos, John F. Kennedy, encontra ao perder o marido, após ser assassinado em novembro de 1963.
Natalie Portman está brilhante no papel de Jacqueline, conseguindo dar o tom a personagem e prendendo o público até o final, mesmo com um roteiro simples e um pouco arrastado.
O filme foi indicado nas categorias: melhor figurino e melhor trilha sonora.


Moonlight: Sob a Luz do Luar (Barry Jenkins, 2017)



Certamente o mais conhecido dessa lista, o filme acompanha a história de Chiron, um jovem negro de uma comunidade em Miami, vítima de Bullyng e cuidado pela mãe viciada em drogas. Um dos chefes do tráfico acaba "apadrinhando" o garoto, e ele acaba servindo como uma imagem paterna.
Dirigido por Barry Jenkins, Moonlight é um retrato tocante sobre etnia e sexualidade, bem longe dos clichês do cinema.
O filme foi premiado nas categorias: melhor filme e melhor roteiro adaptado. E indicado nas categorias: melhor direção e melhor fotografia.


Os Capacetes Brancos (Orlando von Einsiedel, 2016) 



Também produzido pela Netflix, o curta-metragem nos apresenta a história de um grupo de voluntários que dedicam suas vidas tentando resgatar vítimas de ataques na Síria.
Tocante, o filme é o segundo do diretor Orlando von Einsiedel a disputar na premiação mais importante do cinema mundial. "Virunga", em 2014, também concorreu ao Oscar.
O filme foi premiado na categoria de melhor documentário de curta-metragem.


Lion: Uma Jornada Para Casa (Garth Davis, 2016)  



Aos 5 anos, o indiano Sarro perde-se de seu irmão numa estação de trem e acaba indo parar em uma cidade totalmente desconhecida. Lá, ele é levado a um orfanato e é adotado por uma família australiana. Depois de crescer, Sarro decide encontrar sua antiga família, e aí é onde uma jornada emocionante se inicia.
O filme foi indicado nas categorias: melhor filme, fotografia, trilha sonora e roteiro adaptado.



Via

Álisson Boeira

Fundador da Revistak7. Gaúcho, que vive no Mundo da Lua, e que não gosta de churrasco e nem chimarrão.

|@alissonfboeira

Tecnologia do Blogger.